Capoulas Santos anuncia investimento de nove milhões em material pesado para limpar florestas

O Ministro da Agricultura anunciou um investimento de nove milhões de euros para a aquisição de equipamento pesado para a limpeza de faixas de proteção florestal e depois ajudar no combate aos incêndios no verão.

Capoulas Santos disse que a medida foi aprovada no conselho de ministros de quinta-feira e se enquadra no âmbito da reforma da floresta.

O ministro especificou que os nove milhões de euros vão ser aplicados na aquisição de 12 tratores pesados, mais cerca de uma dezena de tratores de mais pequena dimensão, camiões de transporte e outras alfaias agrícolas:

“Esta medida surge para que o Ministério da Agricultura não esteja dependente dos empreiteiros privados para fazer as tais faixas de proteção e as zonas de limpeza da floresta, visto que o ano passado houve muita procura e os preços chegaram a triplicar e quadruplicar, e algumas obras não puderam ser feitas porque não havia empresas no mercado para as fazer.

Como tal, decidimos-nos equipar e comprar um conjunto de 12 tratores pesados, cerca de uma dezena de outros de pequena dimensão e um conjunto de alfaias e de destroçadores de material lenhoso, para que, durante todo o ano, possamos fazer essa limpeza e abertura de novas faixas, permitindo que este equipamento fique à disposição das forças de combate durante os três meses de verão.”

Capoulas Santos explicou que esse equipamento estará disponível, durante o ano, para a realização da limpeza das faixas e a abertura de faixas de proteção:

“Durante todo o ano eles trabalharam para o Ministério da Agricultura na limpeza da floresta e na abertura de faixas de proteção, e nos três meses de verão, período em que esta limpeza não se faz porque representa perigo de incêndio, ficará à disposição dos municípios através das CIM para acudir na ajuda ao combate a incêndios, se necessário.”

O ministro falava aos jornalistas à margem da assinatura dos contratos-programa para a constituição dos agrupamentos de baldios, entre o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, em representação do Estado, a Federação Nacional dos Baldios e a Associação Florestal de Portugal.

Este é um programa piloto que visa a criação de 20 agrupamentos de baldios, em 15 áreas prioritárias, e que envolve um investimento de 3,6 milhões de euros.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Ansiães)