Marta Temido inaugura Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa de Misericórdia de Vinhais

Hoje de manhã foi inaugurada a Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa de Misericórdia de Vinhais pela Ministra da Saúde. O espaço está em funcionamento com 24 camas para doentes que necessitam de auxílio na sua recuperação, desde Agosto. Marta Temido cumpriu a promessa a Luís Fernandes, presidente da câmara, de inaugurar o espaço.

“Com estas camas que a ARS Norte contratou para a Santa Casa da Misericórdia de Vinhais, consideramos que esta NUT da terra de Trás-os-Montes ficou com a totalidade de respostas na área de cuidados continuados integrados ao nível de internamento.

Esta área tem repostas como estas que acabamos de inaugurar ao nível do internamento, mas vez mais se pretende que sejam os cuidados de saúde e a segurança social a ir aos domicílios das pessoas.”

No dia que se está a discutir na Assembleia da República o estatuto do cuidador informal, a ministra da Saúde defendeu a importância de criação de medidas para apoiar o doente e o cuidador.

É importante ter uma política pública de apoio aos cuidadores informais que mantenha  o foco na pessoa cuidada. O cuidador informal é importante para a pessoa cuidada, portanto, ao nível da saúde, é necessário ter um conjunto de medidas de apoio à capacitação do cuidador informal, à garantia de contactos no sistema de saúde, ao descanso e ao apoio do cuidador informal.

Não conseguimos fugir ao tempo, aos caminhos que temos para percorrer e até à necessidade que temos de ir avaliando aquilo que vamos fazendo. A proposta que apresentamos é aquela que está agora em discussão.”

O provedor da Santa Casa de Vinhais, António Alberto Rodrigues aproveitou o momento para pedir comparticipação diferenciada para instituições do interior.

“Viver em Vinhais ou no distrito é muito mais difícil do que em Lisboa. Os apoios que a capital tem são muito diferentes daqueles que nós temos.

Nesta zona do país, ao final de dois ou três anos, uma viatura está desfeita, o que em Lisboa não acontece, no entanto, as comparticipações são as mesmas. Acho que o poder central devia olhar para nós de outra maneira.”

A Unidade de Cuidados Continuados de Vinhais faz parte Rede Nacional que conta actualmente com 4.355 camas.

Foto: Município de Vinhais

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)