CIM Terras de Trás-os-Montes cria plataforma para promover espírito empresarial

A Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes criou uma plataforma regional de promoção do espírito empresarial. O projecto visa congregar e disponibilizar na plataforma Innov Connect informação sobre oportunidades de investimento nos nove municípios do território da CIM, como explicou Artur Nunes, presidente desta Comunidade Intermunicipal:

“É uma plataforma supra-concelhia que nos permite ter informação diferenciada ou normalizada relativamente a cada uma das zonas e parques industriais e que pode ser utilizada pelos diferentes investidores e empreendedores, uma vez que estamos aqui no Instituto Politécnico de Bragança. Ao nível do empreendedorismo pode haver aqui uma necessidade de saber se a instalação de uma empresa pode ser em Vinhais, ou em Alfândega da Fé, ou Miranda do Douro, ou Bragança. Tínhamos muitas dúvidas quando falavam connosco sobre o potencial de investimento e, neste momento, através deste instrumento, vamos ter aqui um potencial e informação muito concreta sobre as oportunidades de investimento para o território da CIM Terras de Trás-os-Montes.”

Para além de mostrar a disponibilidade de terrenos dos parques industriais a plataforma vai apresentar de forma centralizada outras informações, com o objectivo de tornar mais fácil o investimento na região:

“Tendo essa informação concreta sobre terrenos disponíveis, facilidades ao investimento, se existem, quais são as áreas, se há pré-projectos, se há terrenos e armazéns que estão disponíveis… temos aqui uma informação muito concreta sobre disponibilidade, ofertas que existem e, depois, da nossa parte, potenciar a promoção do espírito empresarial, tendo a própria comunidade também um papel de promoção.”

Outro dos problemas a que a plataforma poderá ajudar a dar resposta está relacionado com os transportes e a possibilidade de potenciar sinergias, antes de a reivindicação da CIM Terras de Trás-os-Montes de criação de plataformas logísticas ser concretizada.

“Aquilo que reivindicamos é a criação de centros logísticos e que sejam uma forma de canalizar toda a produção para que a partir daqui possam exportar e centralizar toda a produção nas diferentes áreas. Aquilo que nos dizem, muitas vezes, os operadores de logística e transporte é que, muitas vezes, vêm cheios e vão vazios e indo vazios temos um custo de transporte acrescido na própria logística de distribuição. Se criarmos centros logísticos o custo diminui e há vantagens competitivas na deslocalização e competitividade.”

A plataforma estará disponível a partir do final deste mês e será gerida pelo Instituto Politécnico de Bragança, que recebeu a apresentação do projecto.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)