Professores juntaram-se em protesto esta manhã em Bragança

Professores juntaram-se em protesto esta manhã em Bragança

Vários professores concentraram-se esta manhã junto à escola Abade Baçal, em Bragança. Estão mais uma vez em greve. No entanto, estão obrigados a cumprir os serviços mínimos, ou seja, trabalhar três horas. Devido a isso, a adesão não foi como nas greves anteriores, diz o membro da plataforma de sindicatos, Carlos Silvestre:

“Tendo em conta o que foi decretado, já sabíamos que ia ser muito difícil podermos manter o dia com greve. Os professores têm que cumprir esses serviços mínimos em função dos alunos. Tivemos entre as 8h15 e as 9h, mas mesmo assim tivemos professores ali presentes connosco.”

Os sindicatos ainda recorreram da decisão dos serviços mínimos, mas já não foi a tempo para mudar a situação. Carlos Silvestre não tem dúvidas de que se trata de um boicote ao um direito constitucional:

“Eu tenho a certeza que é uma tentativa muito agressiva, muito forte de nos cortar um direito que é fundamental que está consagrado na Constituição da República e infelizmente devido a leituras que não nos parecem muito democráticas obrigam-nos a fazer algo imposto”

Hoje estão em greve os professores da zona Norte e Centro, amanhã serão os professores da zona Sul do país a protestar.

INFORMAÇÃO E FOTO CIR (Rádio Brigantia)

Relacionados