Provas oficiais de parapente regressam à Serra de Bornes, mais de uma década depois

Provas oficiais de parapente regressam à Serra de Bornes, mais de uma década depois

O concelho já integrou o calendário das provas, a contar para o campeonato nacional e campeonatos internacionais, e ainda de distância livre.

Agora, os esforços feitos entre as várias partes envolvidas, o BôAr Parapente Clube, a Federação Portuguesa de Voo Livre e o Município de Macedo de Cavaleiros, permitiram retomar as competições na Serra de Bornes, que deixaram de se realizar por motivos financeiros e técnicos, explica Luís Orlando Neves, do BôAr Parapente Clube:

” Deixou de haver tanto apoio das entidades locais. Nós somos um clube pequeno, sem fins lucrativos, e sozinhos nunca teríamos a possibilidade de realizar uma prova desta envergadura. Tem que haver sempre um interesse das entidades locais em apoiar, nomeadamente do Município e também a Federação Portuguesa de Voo Livre. Esta última sempre esteve aberta à realização destas provas, o que infelizmente não se verificou com o Município, anteriormente. E depois talvez não tivéssemos os meios humanos e técnicos necessários no nosso clube que nos permitissem fazer uma prova deste género ou dar continuidade às provas que vinham sendo realizadas longo do tempo. As pessoas também vão saindo, deixando a atividade por uma ou outra razão. Passámos uma fase em que tivemos uma carência de participantes, o que também temos de tentar colmatar com a criação de uma escola de parapente na região, que já tem funcionamento há alguns anos, com o objetivo de trazer gente nova. Começa agora a dar frutos e já temos meios humanos.”

De 8 a 10 de junho, a Serra de Bornes recebe a Liga de Portugal de Parapente BôAr Bornes 2023, uma prova pontuável para o ranking nacional e internacional de pilotos, que vai contar com cerca de 60 pilotos de vários países:

” 60 é aquilo que é o expectável pois é o nosso limite em termos de idealidade logística. Há toda uma logística por trás de uma prova desta envergadura e é aquilo que nos é possível receber atualmente em termos de números.

Certamente que seriam muitos mais, caso nós pudéssemos abrir mais inscrições para mais pilotos. Temos em vários países, Portugal, Espanha, Coreia do Sul, Itália, França e Reino Unido. Não temos assim tantos meios humanos disponíveis mas ainda assim conseguimos libertar dois pilotos para fazer a provas. São duas promessas da região, o Rui Mila e o Valdemar Salselas, que já foram formados por nós e são dois excelentes pilotos.”

Um regresso que contou também com o esforço da autarquia de Macedo de Cavaleiros, que tem vindo a criar condições para a prática da modalidade, que já conta com duas pistas no concelho, adianta o vice-presidente do Município, Rui Vilarinho:

“Já comprámos o terreno de Bornes aos proprietários, aquele terreno já é da Câmara Municipal há cerca de 15 dias. Era um processo que já se arrastava há muito tempo. O objetivo é alavancar mais a modalidade e para isso queremos fazer ali obras, num futuro próximo.

Já há outra pista também feita por nós com contribuição direta da Junta de Freguesia de Chacim, que emprestou o terreno.

Está também para entrar neste processo a Câmara Municipal de Alfândega da Fé e, se isso acontecer, ficam com pistas para todos os lados e em função dos ventos variáveis.”

Uma modalidade que as partes envolvidas querem que continue a ter expressão no concelho, sendo palco de mais provas oficiais nos anos seguintes.

Neste ano de regresso, o vice-presidente acredita que vá trazer cerca duas centenas de pessoas durante os três dias:

“Enquanto nós estivermos cá vamos continuar a apoiar e a proteger esta modalidade e, se possível, dimensioná-la. Temos é que dar-lhe as condições para que eles estejam cá, para que pratiquem esta modalidade, porque a Serra de Bornes tem condições únicas para isso.

Eles contam com 60 participantes nesta prova, sendo que com as famílias equipas irão estar cerca de 200 pessoas durante três dias e, para nó,s isso é muito importante. É bom ver atletas voar os nossos céus.

Como não tínhamos previsto esta competição e temos dado sempre uma apoio a este clube, na ordem dos 3500 por época desportiva, fizemos um contrato com eles, que determina que vão suportar o remanescente desse valor para realização da prova e, no próximo ano, fazemos acerto de contas.”

Alguns pilotos de referência da competição nacional e internacional, como Nuno Vergílio, Eusébio Soares, Nuno Gomes, Sílvia Ventura, Pedro Moreira, Maite Moreno e Iván Colás vão participar na Liga de Portugal de Parapente BôAr Bornes 2023, que acontece nos dias 8, 9 e 10 de junho, na Serra de Bornes, em Macedo de Cavaleiros.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados