CGTP reclama reforço de médicos especialistas e de família

CGTP reclama reforço de médicos especialistas e de família

A falta de médicos especialistas e de família levou a CGTP, Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses, a reclamar um reforço do Serviço Nacional de Saúde, junto à Praça Cavaleiro Ferreira, em Bragança, no sábado. Este é um cenário que afecta o país e em particular a região. O coordenador da União dos Sindicatos de Bragança, Eduardo Alves, defende que é preciso valorizar todos os profissionais de acção médica:

“Vemos um cenário muito cruel, porque a fixação dos médicos, sabemos que no Interior, a desertificação é cada vez maior, cada médico que vem só vem fazer o estágio e não ficam. Terá que ser criada estabilidade para eles ficarem, dar casa pelo menos, e terem outras especificações para os colocar cá.”

Eduardo Alves considera que de pouco vale abrir serviços na Unidade Local de Saúde do Nordeste, se depois não há profissionais para trabalhar:

“Recentemente foi inaugurado uma unidade dos cuidados intensivos e não temos cardiologistas em Bragança, isto é uma aberração total. Abre-se um serviço novo e não temos cardiologia que é muito importante para abrir um serviço desses.”

Por isso, a União dos Sindicatos de Bragança defende um reforço do sector público, contrariamente ao que diz estar acontecer:

“Os privados estão a crescer a olhos nus. Bragança também já tem hospital privado. Praticamente todas as cidades têm, é porque dá lucro. Não podemos fazer um serviço público, um serviço privado.”

Os Sindicatos visitaram ainda o hospital de Bragança. Esta acção faz parte da Jornada Nacional de Defesa e Reforço do SNS, organizada pela CGTP. A Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses pede a valorização profissional e salarial dos trabalhadores do SNS, mais contratação e reforço dos cuidados de saúde.

INFORMAÇÃO E FOTOP CIR (Rádio Brigantia)

Relacionados