GDM regressa às vitórias com 8-4 frente aos Amigos de Cerva

GDM regressa às vitórias com 8-4 frente aos Amigos de Cerva

Foi com 8-4 no marcador ao apito final que o Macedense / Doolibar Sociedade Oleica carimbou este sábado o regresso às vitórias, vencendo em casa os Amigos de Cerva na jornada 4 da II Fase do Campeonato Nacional de Futsal da II Divisão.

Na primeira parte, dois golos do GDM contra um do adversário, marcados por Aderson Filho e Patrick Aragão.

Na segunda parte, João Carvalho foi o primeiro a marcar e a fazer o 3-1, seguindo-se os golos de Aderson Filho e Patrick Simão. Patrick Aragão vê o segundo amarelo do árbitro e é expulso aos 35 minutos, assim como Nuno Faria, dos Amigos de Cerva, que ao minuto 37 recebe vermelho direto.

Bis de Takumi e hat-trick de Aderson Filho, que marcou de penálti, fizeram o 8-4 final.

Um jogo que nenhuma das equipas merecia perder, é a leitura do treinador do GDM, Costinha:

“Duas grandes equipas, acima de tudo, e nenhuma merecia perder.

Foi o jogo em que tivemos mais dificuldades na primeira parte porque não conseguimos impor o nosso modelo em campo. Foi o adversário a ter inúmeras oportunidades, a conseguir rematar e nós a dar o corpo às balas, bem e com humildade, mas não conseguimos impedir o adversário, mesmo tendo boas oportunidades.

No início da segunda parte o Cerva entrou melhor, claramente, nós acusámos a responsabilidade do jogo porque não fazer pontos tem algumas quebras de confiança.

A partir dos cinco minutos, mais ou menos, conseguimos pegar no jogo, fomos mais coletivos e mais equipa. Aí sim, subimos a pressão, conseguimos chegar a tempo às bolas e impor o nosso modelo de jogo.

Em transição conseguimos ganhar vantagem e depois foi a gestão.

Houve a expulsão que nos limitou mas, no geral, este jogo foi um hino ao futsal com duas grandes equipas transmontanas na II divisão.”

 

Nesta fase o Macedense só tinha vencido ainda o primeiro jogo e o objetivo era retomar o caminho de vitórias, a que precisa dar continuidade:

“Esta fase vive-se de pontos e eu já estava cansado de vitórias morais.

Fizemos grandes jogos mas hoje não o poderíamos fazer e não fizemos, houve momentos com bom desempenho e outros em que o adversário foi claramente superior.

Foi talvez o jogo mais partido que tivemos nesta fase porque houve momentos em que não conseguimos parar a forma de jogar do adversário e aí criou-nos dificuldades.

Mérito para nós que soubemos ser humildes no processo defensivo.”

 

Álvaro Santos, treinador da equipa de Cerva, refere a apesar de o GDM ter sido mais eficaz, o resultado não espelha o que se passou em campo:

“Na primeira parte acho que entrámos bem no jogo, menos em alguns minutos em que concedemos algumas oportunidades de golo ao Macedense, mas acho que depois acertámos a marcação e criámos oportunidades suficientes para, além do golo, criarmos uma vantagem maior. Só que o Macedense foi mais eficaz nas duas partes e nós acabámos por pagar a fatura. Quando na segunda parte caiu aquela vantagem de quatro golos, se não tivéssemos tido a expulsão talvez pudéssemos ter disputado o jogo até ao fim.

O resultado acaba por dilatar, de uma forma que acho completamente injusta, e é totalmente enganador para o que se passou aqui durante os 40 minutos.”

 

O Macedense está em quinto na tabela de classificações com seis pontos.

No próximo sábado vai a casa do Venda Nova, atual segundo classificado.

Escrito por ONDA LIVRE

IMG_9004IMG_9015

Relacionados

Comentar