População do Lombo pode agora ter consultas médicas sem sair da aldeia

População do Lombo pode agora ter consultas médicas sem sair da aldeia

Desde ontem que a população da aldeia do Lombo, no concelho de Macedo de Cavaleiros, tem a possibilidade de ter consultas de medicina geral e familiar sem sair da localidade.

A valência surge de uma parceria entre a Junta de Freguesia e uma clínica privada da cidade, tendo em conta que a falta de médicos de família tem deixado alguns habitantes há espera de uma consulta por períodos que, às vezes, ultrapassam os seis meses, como refere o presidente da freguesia, Miguel Caseiro:

“Já tínhamos pensado nisso logo no início do mandato, mas como a situação, em termos de médicos de família e de periodicidade de consultas, estava mais controlada do que agora, pusemos essa ideia um pouco de lado.
Mas de há uns tempos para cá temos vindo a falar com pessoas que se têm queixado de falta de médico de família, que precisam de algum apoio no acesso a receitas e até à marcação de exames, e alguns, cujas consultas são constantemente adiadas e as pessoas estão durante mais de meio ano sem consultas. Isso levou-nos a optar por oferecer também este serviço de consultas de medicina geral e familiar.”

 

A aldeia já dispõe de serviço de enfermagem há mais de dois anos, ao qual se junta agora a valência de medicina geral e familiar.

A localidade dista a 22km sede de concelho, o que foi outro dos motivos que levou a junta de freguesia a implementar estes cuidados de saúde junto da comunidade:

“Com a população idosa que temos, a maior parte das pessoas não tem carta de condução, não tem viatura própria, tem de pagar transporte, muitas vezes têm de pagar também as taxas moderadoras de urgência, o que torna o custo bastante elevado.

E a isso junta-se a perca de tempo, pois a distância também não é assim tão pequena e os transportes públicos também escasseiam. Muitas vezes as pessoas vão a Macedo para ter uma consulta e têm de passar lá o dia.
Este é um serviço que poupa as pessoas desses transtornos.”

Nesta fase inicial, as consultas de medicina geral e familiar vão acontecer duas vezes por mês, podendo a frequência ser depois ajustada consoante a procura da população.

Foto: Freguesia do Lombo

Escrito por ONDA LIVRE

 

Relacionados