Muitos risos e boas gargalhadas na Gala do Humor

Rir continua a ser o melhor remédio contra os problemas e preocupações causados pelas manobras de austeridade.

Exemplo disso foi a II Gala do Humor que teve lugar este sábado no Centro Cultural de Macedo de Cavaleiros.

A sátira social foi o foco da iniciativa fruto de uma pareceria entre a Associação Juvenil dos Artistas Macedenses e a Rádio Onda Livre.

Na plateia estavam cerca de 250 pessoas e no final mostravam-se maravilhadas com o espetáculo.

microfone

 

“Gostei muito, foi muito divertido. Deu para rir um bocado.

Gostamos muito da Casa dos Degredos, diz Inês Sabino.

Nuno Moreira afirma, “esteve 5 estrelas, estou maravilhado, e como dizia o Fernando Mendes, foi um espetáculo.

É importante este tipo de iniciativas e importa que cada vez mais as associações colaborem”.

Os programas televisivos foram a base da inspiração da II Gala do Humor.

Os eleitos para a sátira social foram a “Casa dos Degredos”, o “quem quer ser ordinário” o “Preço Arredondado”, e o “Fator C”.

O vice-presidente da AJAM, João Cardoso justifica a escolha do tema e explica que por detrás de tudo isto está uma grande dedicação de todos.

 

microfone

 

“É um tema com o qual o público se identifica e também uma forma de criticar os meandros da arte e da televisão, através de uma caricatura bem-humorada do que se vai passando.

Vivemos um pouco numa ditadura televisiva e o mote é interessante para uma peça de teatro. Há um grande empenho e muita entreajuda para conseguirmos espetáculos de qualidade”

A vereadora da Cultura do Município mostra ser uma grande admiradora de eventos que enriqueçam a agenda cultural do concelho.

Helena Magalhães enaltece as associações que trabalham e se empenham na promoção e preservação cultural.

microfone

 

“Penso que todo o trabalho das associações culturais é muito válido.

O facto de entre eles ganharem um espírito de equipa que se transmita ao público é excelente, conseguir colocar as pessoas a rir é digno de uma grande salva de palmas.

São pessoas que tem as suas vidas e sem grande tempo para ensaiar, e portanto é de louvar todo o esforço que faz, não só a AJAM, mas de outras associações culturais”, expressa.

Rir foi a palavra de ordem na II Gala do Humor que levou centenas de pessoas ao Centro Cultural de Macedo de Cavaleiros.

 Escrito por Onda Livre