Feira do Azeite e do Figo continua a crescer

Pelo terceiro ano, a Feira do Azeite e do Figo continua a crescer e a dar visibilidade à aldeia do Lombo, no concelho de Macedo de Cavaleiros.

É esta a convicção do presidente da Junta de Freguesia, Armindo Pereira. Há cinco anos a desempenhar funções, acompanha o evento desde o início. Realça que esta feira é uma boa ajuda para escoar os excedentes dos produtos agrícolas.

microfone profissional 4 (1)

“Dá visibilidade à nossa freguesia e é também uma maneira de ajudarmos os nossos produtores a escoar os seus excedentes agrícolas. Promove-se o que melhor se faz aqui na nossa aldeia, o intuito é esse é promover e valorizar os produtos da terra. O figo e o azeite foi o que deu o nome a feira. O azeite porque no Lombo se produz muito em quantidade e qualidade e o figo é por causa de um dito popular terra dos figos pretos brancos da fonte dos testos. Pegamos então nesses dois nomes para dar o nome á feira. Esta feira tem que coincidir sempre no 2º, 3º fim de semana de outubro porque é a altura em que há bastantes produtos agrícolas é esse o motivo de se realizar a feira nesta altura do ano.”

 

O presidente da Câmara da Câmara, Duarte Moreno, considera que estas feiras têm vindo a ajudar as freguesias a capitalizar o que têm de melhor, de modo a atrair turistas e curiosos às localidades.

microfone profissional 4 (1)

“É isso que nós pretendemos e foi isso que a Câmara Municipal durante alguns anos fez, mostrar ás freguesias como podiam capitalizar aquilo que de bom tinham, portanto algumas freguesias aproveitaram. Nem todas têm, mas já há um grande número de freguesias que têm cada uma com a sua especificidade. Vamos ter já no próximo mês ou no final deste mês a da castanha em Corujas, as especificidades são diferentes e é isso que nós pretendemos que as pessoas da cidade ou de outros locais venham as freguesias e adquiram os produtos que de melhor têm e que melhor podem servir aquilo que nós procuramos.”

Os dozes expositores presentes são habitantes da aldeia do Lombo.

Os produtos da época estão em destaque, mas nem só de azeite e figos se faz a feira.

microfone profissional 4 (1)

“Vinho, águardente, chicharos, nozes, maçâs, tudo produzido em casa. Todas as feiras está aqui, isto é bonito, bom e anima a aldeia.

Graças a Deus no ano passado faturou-se bastante.” – declarações de Cândida Brás, de 80 anos.

“É tudo produção da casa ao longo do ano, para termos aqui os produtos tem que se produzir todo o ano para conseguirmos ter aqui os produtos. Feijão verde, pão, doces, azeitonas e alcaparras é o que procuram mais.” – conta Angélica Cordeiro.

“Isto é um part-time, comecei a fazer por brincadeira e depois cada vez foi gostando mais de fazer e é assim que eu passo os meus tempos livres. Principalmente é para as meninas, porque para os meninos é mais complicado. Ganchinhos, bandoletes, faço também recordações para casamentos, batizados e aniversários.” – Elsa Brás faz trabalhos manuais, com o seu projeto “Coisas Giras”.

A aldeia do Lombo, concelho de Macedo de Cavaleiros, recebeu a III edição da Feira do Azeite e do Figo.

Os produtos de outono são os reis de um certame que continua a crescer.


IMG_20141011_152159 IMG_20141011_152308 IMG_20141011_154419 IMG_20141011_154803 IMG_20141011_154807

Escrito por ONDA LIVRE