Há casos de burla que não chegam às autoridades por vergonha

Alguns casos de burla a idosos ficam por denunciar por vergonha.

Quem o diz é Claúdia Costa, Guarda Principal da GNR de Macedo de Cavaleiros, e que ontem foi uma das oradoras numa sessão de esclarecimento com o mote “burlas e roubos”, levada a cabo pela GNR e pela câmara municipal do concelho.

Há casos que nunca chegam a ser reportados às autoridades por vergonha de admitirem que caíram no conto do vigário.

microfone profissional 4 (1)

 

“Há muitos tipos de burla, costumam enganar bastante os idosos com a troca das notas e também com os bens, com o ouro, cobre, etc. Há muitos tipos de burlas, chegam alguns casos e não chegam mais por vergonha porque este tipo de população envergonha-se de denunciar estas situações.”

Ainda assim Cláudia Costa garante que a população mais idosa já tem mais cuidados com as tentativas de burlas.

A sessão deu também enfoque à nova nota de 10€. Cláudia Costa diz que as mudanças deixam os idosos desconfortáveis, e o objetivo é alertar as pessoas que não é necessário trocar as notas, à semelhança do que aconteceu com a introdução da nota de 5€ da série Europa.

microfone profissional 4 (1)

“Já há muitos mais cuidados, notamos que em algumas ações há pessoas que já assistiram em outras sessões e que nos dizem que já se defenderam por terem ouvido os nossos conselhos e por terem estado presentes em algumas ações de sensibilização. Não é por ser diferente eles são mais vulneráveis, mais isolados e esta mudança da nota aflige os idosos e deixam-se enganar com muita facilidade e a nossa preocupação é essa em fazer com que eles não se deixem enganar e em especial que não troquem qualquer nota porque não há necessidade de o fazer.

Da nota de 10 euros não temos conhecimento, mas da nota de 5 euros tivemos bastantes idosos burlados.”

 

Alguns idosos que assistiram à palestra demonstram que sabem como se acautelar perante tentativas de burlas.

microfone profissional 4 (1)

“Tem que se ter muito cuidado por causa dos gatunos.

Claro mal entro para casa fecho logo a porta pois estou sozinha e de noite quando tocam a campaínha, abro primeiro a janela da cozinha para me certificar de quem é, se conhecer abro se não conheço não abro.”

“Por enquanto ainda não presenciei a nada a sério, mas burlas ligeiras é todos os dias há sempre quem saiba mais que nós.”

“Agora a nota de 10 euros já conheço, pois já tive uma. Para não me roubarem a porta está fechada, contudo nós ainda não tivemos nada assim de preocupam em Morais. Estiveram a dois dias dois e eu pensei que eram alguns burlões, mas não.”

 

A sessão contou com um teatro, “As velhotas espertalhonas”, encenado pelo grupo de teatro de Morais, constituído na sua maioria por idosos, e que retrata a tentativa de duas mulheres, vindas da zona do Porto, de enganar os mais desprevenidos.

A GNR relembra que se sair de casa deve levar a chave no bolso, não deve dar informações detalhadas a estranhos nem abrir-lhe as portas de casa. Quando levantar dinheiro, faça-o sempre num sítio seguro.

 

Escrito por ONDA LIVRE