Comissão de Saúde de Macedo de Cavaleiros já reuniu com a direção da ULS Nordeste

A Comissão de Saúde da Assembleia Municipal de  Macedo de Cavaleiros já reuniu com o novo Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Nordeste (ULS Nordeste).

Na Assembleia Municipal de setembro, José Madalena tinha manifestado a intenção de chegarem a conversações com a direção liderada agora por Carlos Vaz. Na Assembleia desta semana, o coordenador da comissão revelou que o encontro aconteceu a 17 de outubro. José Madalena disse que Carlos Vaz reconheceu a importância estratégica do centro hospitalar de Macedo de Cavaleiros, e deixou novidades para alguns serviços.

reduzido 3

“Aceitou (Carlos Vaz) a justeza das nossas reivindicações, algumas delas antigas, com alguns anos, e, de imediato, tivemos conhecimento que uma delas tinha que ver com o funcionamento do serviço de análises clínicas ao fim-de-semana já estava a ser efetivado. Tive a oportunidade de o confirmar, que isso está a acontecer. Também já sabemos que os dois ortopedistas que saíram já foram substituídos. E ouvimos com muito agrado, se não a reimplantação do serviço da unidade de convalescença, pelo menos a reativação dos cuidados continuados, que, obviamente, dependerá de verbas que hão de vir. Mas, pelo menos, percebemos que há uma grande vontade.”

O deputado Pedro Mascarenhas, e membro da Comissão de Saúde, deu uma achega àquilo que resultou desta reunião com a ULS Nordeste

reduzido 3

“Vou falar no regresso das análises clínicas durante 24 horas, que deixamos de ter, e agora vamos ter outra vez. A criação de novo de um serviço de cuidados continuados. O aumento do número de médicos de família, para ser possível a cobertura a 100% dos cuidados de medicina familiar; aliás, já houve uma redistribuição dos doentes por cada médico, o que nos permitiu essa cobertura, mas ainda não está a 100%. Irá estar.

Aumento da capacidade de resposta nos cuidados de proximidade. O aumento, efetivo já, do número de médicos de medicina interna. Com este aumento, não haverá rotura no atendimento do Serviço de Urgência Básica (SUB) em tempos, quando os médicos foram retirados. Ainda chegamos a fazer uma tomada de posição e uma manifestação contra a retirada dos médicos da SUB, e com o medo que tínhamos, e o receio fundado que nos fechassem a urgência.”

José Madalena espera ainda que a verba alocada à Unidade Local de Saúde do Nordeste cresça.

reduzido 3

“A única coisa que importa também ver agora, e esperemos que tudo corra pelo melhor, é que, da parte do senhor ministro da saúde, foi prometido para 2017 uma reanálise do financiamento da ULS Nordeste, que sabíamos ser insuficiente, pelo menos no que diz respeito à capitação.

Esperemos que o orçamento de 2017 traga o cumprimento dessa promessa.”

Análises clínicas ao fim-de-semana, a contratação de dois médicos ortopedistas, para compensar as duas saídas e o aumento dos médicos de família: algumas das melhorias na área da saúde no concelho de Macedo de Cavaleiros, reveladas pela Comissão de Saúde na última Assembleia Municipal.

Ainda assim, pediu-se mais na bancada da direita. O deputado do PSD Luís Manuel Gonçalves regozijou-se com as melhorias avançadas, mas pede a reposição de mais serviços, e mostra-se apreensivo com a redução do financiamento inscrito no Orçamento do Estado .

reduzido 3

“Há uma série de milhões de euros que a ULS tem disponíveis. Sabe-se que se vão efetuar obras de monta no hospital de Bragança. Talvez seja o momento certo para os redirecionar para o centro do distrito e para o hospital de Macedo de Cavaleiros.

Podemos relembrar também uma série de especialidades que nos foram prometidas, aquando da ‘tal’ luta que foi menciona no que respeita à saída da urgência. Todos se recordam, certamente, daquele nome mítico, Correia de Campos, que nos queria tirar levar tudo e mais alguma coisa, e que se comprometeu a dar contrapartidas em troca. Recorda-me em particular o serviço de oftalmologia e outros do género.

Mas no que respeita à qualidade de serviço, fico um bocadinho desconfiado. Porque, quando no Orçamento de Estado para o presente ano há uma dimunição da verba para a ULS de 92 milhões para 86 milhões (menos 6 milhões), será que a qualidade de serviços prestados às populações vai aumentar?”

Declarações à margem da última Assembleia Municipal, que decorreu terça-feira.

Escrito por ONDA LIVRE