Deco é cada vez mais uma opção na resolução de problemas para os consumidores do Distrito de Bragança

Os consumidores do Distrito de Bragança recorrem cada vez mais à Deco, a Associação de Defesa do Consumidor, que dia 1 de Fevereiro vai ter um representante no Município em Macedo de Cavaleiros para apoio às dúvidas dos consumidores.

Mariana Almeida, Jurista, afirma a existência de uma maior procura à associação na resolução de alguns problemas.

“Conseguimos afirmar que, tendo em consideração esta nossa presença mais física e próxima junto destes consumidores conseguimos detetar as necessidades específicas de cada região, portanto, de alguma forma, também conseguimos percecionar que existem necessidades diferentes de acordo com os consumidores de cada região, portanto, esta é a perceção que temos a nível Distrital e especificamente na zona de Bragança.” 

No balanço de resultados nacionais de 2017, positivos para a associação, a Deco afirma que 80% das 405 mil queixas ou pedidos de informação terminaram a favor do cliente conseguindo poupar cerca de um milhão e 25 mil euros pedidos de forma indevida.

A nível Nacional, as telecomunicações foram os serviços mais reclamados durante o ano transacto.

“Temos as telecomunicações no topo da hierarquias das matérias que foram mais reclamadas pelos consumidores. Ainda assim, a Deco, na ajuda que deu aos consumidores conseguiu que os mesmos poupassem cerca de um milhão e 25 mil euros, isto porque, existia por parte dos prestadores de serviços de telecomunicações, aquilo que nós consideramos como uma cobrança ilegítima de valores, ou seja, valores que não foram comunicados aos consumidores e houve uma alteração dos contratos naquilo que diz respeito aos preços sem que isso lhes tivesse sido comunicado.” 

As compras e vendas foram os segundos com mais intervenções, algo que se deve também à maior adesão às compras feitas online, sublinha Mariana Almeida.

“Os consumidores acabaram por aderir um pouco mais às transações online, há um maior número de consumidores adeptos de transações deste tipo e, naturalmente que, como todas as lojas físicas, acabam sempre por revelar alguns problemas, nomeadamente, sobre o problema de acionamento da garantia; consumidores que pretendem acionar a garantia junto dos vendedores e muitas vezes não conseguem contactá-los pela dificuldade de identificação do vendedor, uma vez que estamos a falar de compras e vendas online. Também questões relacionados com o não recebimento de vários consumidores dos produtos que foram encomendados online, toda esta questão relativamente à compra e venda online revelou números significativos relativamente às reclamações dos consumidores.”

Também os transportes, o turismo e a habitação foram algumas das categorias que mereceram queixas e procura de soluções junto da Deco por parte dos consumidores no ano de 2017.

 

Escrito por ONDA LIVRE