Qualidade da castanha surpreende pela positiva em 2018

Qualidade da castanha surpreende pela positiva em 2018

2018 está a ser um dos melhores anos da última década no que respeita à qualidade da castanha.

Quem o diz é André Vaz, gerente da Cooperativa Soutos os Cavaleiros, dedicada aos frutos secos:

“Esta campanha tem um balanço francamente positivo, principalmente se compararmos com o ano anterior, em que a qualidade era franca e a quantidade baixa.

Foi dos melhores anos da última década no que respeita à qualidade da castanha.”

Em 2017 esta cooperativa sediada em Macedo de Cavaleiros recebeu 118 toneladas de castanha, quantidade que este ano já foi ultrapassada, superando as expectativas do início da campanha:

“Ainda não acabamos a campanha deste ano e já ultrapassamos as 150 toneladas de castanha, o que representa o segundo ou terceiro melhor ano desde que a cooperativa foi formada.

No início da campanha tínhamos receio que houvesse pouca quantidade de castanha, porque este ano houve um atraso na produção de três a quadro semanas em relação ao normal. Em termos de qualidade também não se esperava que fosse tão boa, e as expectativas foram superadas.”

André Vaz destaca ainda o preço da castanha que este ano está a beneficiar os produtores, diz:

“O preço esteve muito acima da média, gerando rendimento líquido para os agricultores e um bom incremento à economia familiar.

Comparativamente com o ano passado, a castanha foi vendida praticamente ao dobro do preço.

A variedade longal oscilou muito entre os 2.70€/2.80€, a valores médios de 2.50€ no início da campanha e a 2€ agora mais para o fim.”

A campanha da castanha de 2018 está já na reta final, num ano que apesar do atrasado verificado na maturação do fruto, parece estar a surpreender pela positiva.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar