Elsa Escobar demite-se do cargo de presidente da CPCJ de Macedo de Cavaleiros

Elsa Escobar demite-se do cargo de presidente da CPCJ de Macedo de Cavaleiros

A vice-presidente da autarquia justifica esta saída com o facto de, após a entrega dos pelouros por parte do vereador Pedro Mascarenhas, ter acumulado mais funções e necessitar de mais tempo para se dedicar a cada uma delas:

“O mandato de presidente da CPCJ é por três anos e eu só antecipei o final, pois ele terminaria e setembro ou outubro deste ano. Considerando que houve algumas alterações ao nível do executivo, o que resulta em uma carga maior para cada um dos vereadores, pareceu-me que seria conveniente abandonar já a presidência da CPCJ e ficar um pouco mais liberta para me poder dedicar às novas áreas que vou assumir e com as quais ainda não tenho muito contacto.

Além disso, penso que a equipa da CPCJ está firme, é muito trabalhadora e coesa, as coisas têm funcionado muito bem e, portanto, poderão trabalhar com um novo ou uma nova presidente.

Há também a acrescentar que, sendo eu presidente da rede social, nunca estarei totalmente fora porque terei de acompanhar sempre o trabalho de todas as áreas que estão relacionadas com ela.”

O município vai agora indicar outra pessoa para o cargo que terá de ir a votos:

“No dia 23, quinta-feira, vai haver uma reunião em que já estará nomeado um novo representante do município para me substituir, e depois proceder-se-á à eleição do ou da presidente, que terá depois de eleger o lugar de secretário.”

Do trabalho desenvolvido durante o seu percurso como presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Macedo de Cavaleiros, cargo que ocupou durante os últimos dois anos, Elsa Escobar destaca a aposta na prevenção, nomeadamente com a integração no projeto “Adélia”:

“Temos apostado muito na prevenção, tanto que demos início à integração da CPCJ de Macedo de Cavaleiros no projeto Adélia, que vem em substituição de um projeto anterior que se chamava Tecer a Prevenção.

O nome Adélia é baseado no nome de um pinguim que protege muito a cria. É um projeto a nível nacional, nem todas as CPCJ terão aderido mas Macedo quis fazê-lo. São várias fases, estamos agora no início, esperamos que venhamos a ter um bom resultado e que ao longo dos tempos os casos diminuam e que as famílias tenham ferramentas cada vez melhores para poderem proteger as nossas crianças e jovens.”

As declarações da vice-presidente do município de Macedo, sobre os motivos que a levaram a abandonar o cargo de presidente da CPCJ local, a menos de um ano do final do mandato.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados