CAM e GDM voltam a receber certificação de Entidades Formadoras de quatro e três estrelas, respetivamente

CAM e GDM voltam a receber certificação de Entidades Formadoras de quatro e três estrelas, respetivamente

O Clube Atlético de Macedo de Cavaleiros e o Grupo Desportivo Macedense voltaram a receber a mesma classificação de entidades formadoras da época passada, atribuída pela Federação Portuguesa de Futebol.

No caso do CAM é o terceiro ano consecutivo que recebe classificação quatro estrelas, o que deixa presidente do clube, João Saraiva, satisfeito:

“É uma realização pelo 3º ano consecutivo, a origem está no trabalho invisível que os sócios e adeptos não sabem que existe mas que é essencial para todo o processo de certificação, não só de formação, mas também de competição para aquilo que depois são os campeonatos nacionais, porque se não formos um clube certificado, a Federação Portuguesa de Futebol não autoriza a competição nas provas nacionais.

É com muita honra e muito orgulho que pelo terceiro ano consecutivo conseguimos manter as quatro estrelas.”

A época passada, o CAM foi o único clube a receber quatro estrelas mas este ano o feito também foi alcançado pelo G.D: Bragança.

João Saraiva confessa que até gostaria de chegar às cinco estrelas mas admite ser um patamar difícil de alcançar:

“Claro que sim, mas isso é difícil, uma vez que temos que de ter atletas juniores a subir da formação para a equipa sénior, teríamos também de ter um campo sintético, o que espero que possa ser feito em breve com o apoio do nosso município, e teríamos ainda de ter uma equipa de futebol feminina. São três dos critérios que nos ajudariam a subir de pontuação para podermos atingir as cinco estrelas. O mais difícil será o futebol feminino, mas não é impossível. É um projeto que o clube tem a curto prazo e que eu espero que se concretize.”

Já o Grupo Desportivo Macedense, que manteve as três estrelas, ficou a pouco de ascender às quatro, como refere o presidente João Pires:

“Esperávamos manter as três estrelas no processo de certificação, era esse o objetivo, contudo gostaríamos de um pouco mais pois ficámos novamente a uns escassos dois pontos das quatro estrelas.”

João Pires aponta alguns dos motivos que podem ter privado o clube de alcançar os pontos necessários para as quatro estrelas, não descartando alguma possível “má vontade da federação”:

“Implementámos algumas melhorias mas tivemos a redução de alguns atletas face à última classificação, o que também poderá ter influenciado. Pode ser também aqui alguma má vontade da Federação Portuguesa de Futebol de olhar mais para o futebol do que para o futsal, que ainda é considerado o parente pobre no mundo do desporto. Parece-me que a federação deveria valorizar mais os clubes de futsal.”

Este ano foram certificados 13 clubes do distrito, menos um que o ano passado.

Destaque para o CA Mogadouro que recebeu pela primeira vez certificação como Centro Básico de Formação de Futsal.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados