Requalificação do posto da GNR de Macedo só avança, afinal, para o ano

Deveria ficar concluída até ao final deste ano, mas ainda está em fase de projeto a requalificação do posto da Guarda Nacional Republicana em Macedo de Cavaleiros.

Recorde-se o protocolo para estas obras, com uma dotação financeira de 600 mil euros, tinha sido assinado no verão de 2015, ainda com o anterior governo, firmado pela mão da ex-ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues. A data de término desta intervenção avançada à data foi o final do ano corrente, o que, é certo, não vai ser cumprido.

O presidente do município, Duarte Moreno, revela que chegou a haver a promessa, por parte do Ministério da Administração Interna vigente, de um novo quartel, construído de raiz. Falou-se até numa possível localização, junto à Igreja Santa Maria Mãe da Igreja. Uma intenção que acabou por não ir avante.

reduzido 3

“Depois de virem os técnicos das Infraestruturas, do Ministério da Administração Interna, chegaram à conclusão de que não era possível fazer um novo quartel. Pelos custos que estavam envolvidos e também alegaram que não seria a melhor localização, com o que eu não concordo.

Essa localização era junto à igreja Santa Maria Mãe da Igreja. É um terreno que a câmara municipal tem expectante. É amplo, desafogado, e perto de quase tudo que se passa em Macedo de Cavaleiros.”

Ou seja, mudam as datas de execução, mantêm-se os moldes estabelecidos com a anterior legislatura. Certo é que a obra poderá avançar já em 2017, apesar de não se fixar no próximo ano a data de conclusão.

reduzido 3

“Estamos na fase da elobaração projeto. O projeto já foi adjudicado a uma empresa, que está em conversações com o Ministério da Administração Interna, onde se está a desenhar a remodelação daquele espaço.

Depois de sabermos quais são os custos, que não poderão fugir muito daquele protocolo que foi estabelecido, vamos partir para a elaboração de um novo protocola para executar a obra. Nessa âmbito, estamos sem prazo ainda.

Queremos crer que até ao primeiro trimestre do próximo ano teremos o projeto. Depois, poderemos lançar, ainda durante 2017, o concurso para a obra.”

Apesar de esta requalificação ser a solução que “vai ter que servir”, Duarte Moreno frisa que o ideal seria a construção de uma nova infraestrutura, mais central, e que permitisse implementar mais valências.

Escrito por ONDA LIVRE