Seca fez triplicar abastecimento de água no concelho de Bragança

Seca fez triplicar abastecimento de água no concelho de Bragança

Neste momento, 26 das 114 aldeias estão em situação de alerta porque os níveis de água nos reservatórios são fracos.

O presidente do município, Hernâni Dias, explica que a câmara tem assegurado o transporte regular de água, por autotanque, com recurso aos serviços dos bombeiros Voluntários de Bragança e de Izeda e teme que a situação possa complicar-se:

“Verifica-se em Bragança um ano muito complexo, com o aumento exponencial do número de aldeias a precisarem da ajuda para o transporte de água, que é feito em autotanques. Desde, sensivelmente, fevereiro que já se verificaram algumas situações pontuais para acorrer às necessidades dessas populações. Desde esse momento até agora, já transportámos à volta de seis mil metros cúbicos de água para o meio rural. Já foram feitas mais de 350 viagens com os autotanques. Significa que temos já um custo adicional muito superior ao que acontecia em anos anteriores, que já vai em 20 mil euros, só no que toca aos transporte.”

O autarca admite que esta é uma situação que merece a maior atenção da câmara e que, por isso, serão implementadas algumas medidas para poupança de água:

“Para a área urbana, a água que temos na barragem de Serra Serrada dá, sensivelmente, para 90 dias, aos consumos atuais. Os consumos diários na cidade andam na ordem dos 15 mil metros cúbicos, sendo que aumenta agora com a vinda da comunidade flutuante. É preciso que tomemos as medidas necessárias para que consigamos prolongar o tempo de consumo de água existente nas reservas. Tomaremos medidas como as que dizem, por exemplo, respeito à autarquia, nomeadamente, uma que é muito relevante, que é a rega de jardins. Estamos a prever que consigamos poupar 1500 metros cúbicos por dia.”

A Barragem de Veiguinhas está cheia mas não está, para já, a ser utilizada porque a gestão da água está a cargo da Águas do Norte, empresa com a qual Hernâni Dias diz que há desacordo. O município terá sido prejudicado no processo de agregação, pois não terão sido salvaguardados os seus direitos. Ainda assim, Hernâni Dias garante que, se necessário, essa água será usada.

“Temos um diferendo com a Águas do Norte. É um sistema que para nós não serve. Na altura houve inclusivamente um incumprimento, quando se deu a agregação, não tendo sido salvaguardados os direitos do município. Obviamente que não estamos dispostos a entrar neste sistema. Queremos a gestão da água de forma verticalizada para a conseguirmos gerir desde a origem até ao consumidor final. Se tivermos, de facto, essa necessidade de ter que recorrer a uma entidade que tem um litigio grave connosco, vamos recorrer, de forma a que não falte água na cidade.”

Declarações do autarca, ontem, numa conferência de imprensa, em que se deu a conhecer o ponto da situação de Bragança.

O concelho tem também registado sucessivas ruturas nas tubagens de abastecimento de água porque o solo está seco e pesado. Só durante o mês passado foram detetadas e reparadas 81 ocorrências, o que equivale a um acréscimo de mais de 100% quando comparado com o mesmo período do ano anterior.

Foto: Município de Bragança

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)

Relacionados

Comentar