Macedenses estão mais retraídos na corrida aos saldos

Macedenses estão mais retraídos na corrida aos saldos

Os tempos mudam e o poder de compra também. Comparada com o resto do ano, a afluência às lojas é maior, mas não supera 2022. A inflação tem dificultado as vendas dos comerciantes macedenses.

A Rádio Onda Livre saiu à rua para saber como está a correr a época de saldos em algumas lojas de roupa e calçado da cidade.

Começámos por tentar perceber como corre o negócio para as lojistas Carla Borges e Natividade, que confirmam haver alguma corrida às lojas nesta época:

“Normal para esta altura. Temos tido algumas pessoas.

Os clientes aproveitam esta época de saldos, a seguir ao Natal, para fazer as suas compras. Daquele artigo que está com 40% ou 50% maior parte das vezes e aí há uma maior adesão.”

E é frequente ouvir clientes queixarem-se quanto à subida dos preços:

“As pessoas queixam-se que o artigo subiu e que está um pouco mais complicado adquirir certos artigos, que não bens essenciais, e estão um pouco mais retraídos.

Acho que estamos numa época em que subiu tudo e mesmo na roupa na roupa se refletiu. As pessoas pensam duas vezes antes de comprar.”

Cidália Arrátel também é proprietária de uma loja de roupa em Macedo de Cavaleiros.

Para ela, a perda de população tem dificultado o negócio:

 

“Macedo tem perdido muita gente e a pouca que há tem vindo tem aderido.

Os saldos começaram mais cedo, isto para que as pessoas aproveitassem para comprar as prendas de Natal, para terem um miminho. Hoje por acaso coloquei tudo a metade do preço. Estamos na reta final do mês de janeiro e é mesmo para limpar. 

Apesar de se mostrarem um pouco mais retraídos, é possível perceber que uma simples placa a publicitar a época de saldos, chama a atenção dos macedenses, que aproveitam assim para adquirir aquele artigo que não conseguiram comprar antes.

Escrito por ONDA LIVRE

IMG_3392 IMG_3399

Relacionados

Comentar