Bastonário da Ordem dos Médicos preocupado com tempo de espera em algumas consultas no Hospital de Vila Real

Bastonário da Ordem dos Médicos preocupado com tempo de espera em algumas consultas no Hospital de Vila Real

O Bastonário da Ordem dos médicos esteve ontem de visita ao hospital de Vila Real, tendo considerado inadmissíveis os tempos de espera de algumas consultas como em urologia, em que os doentes tem de esperar à volta de 5 anos. Miguel Guimarães  diz que a Ordem  está a escrever um relatório para dar conta destas e outras situações que ocorrem nos hospitais públicos de todo o país.

“Os tempos de espera médio para a consulta normal de urologia está nos 1824 dias, o que não é aceitável. Esta questão deve ser colocada imediatamente à Ministra da Saúde pois ela tem de ter ideia daquilo que está a acontecer em algumas unidades do Sistema Nacional de Saúde.

O périplo que estamos a fazer vai um pouco nesse sentido. Vai sair um relatório para ser enviado à ministra, mas também a todos os envolvidos, incluindo a comunicação social. “

Para o bastonário da Ordem, falta dinheiro, faltam pessoas e faltam equipamentos nos hospitais, nomeadamente no de Vila Real.

“Mesmo o senhor Ministro das Finanças dizendo que houve mais algum dinheiro, este não chega, continua  a haver falta de pessoas, de equipamentos, e este hospital, por exemplo, precisa urgentemente de dois equipamentos novos de radioterapia para servir toda a região de Trás-os-Montes e também de Viseu.

São situações que se vão arrastando no tempo. Não renovando nem fazendo manutenção adequada dos equipamentos, e ao não ser reforçada a capacidade de resposta do SNS com os meios humano adequados, cada vez estamos mais dependentes do setor privado.”

Miguel Guimarães diz ainda que não há incentivos para os médicos optarem por ir para as regiões do interior do país.

“Essas vagas ou não são abertas, em alguns casos, ou não são ocupadas. Continua a não existir, por parte do Ministério da Saúde, uma verdadeira política de incentivo que nas regiões mais periféricas e desfavorecidas incentive os médicos a trabalhar nesses locais.

Não é muito diferente do que acontece em outros sítios, mas temos aqui uma situação particular, até porque este hospital onde estamos é uma referência para toda a região de Trás-os-Montes.”

A visita do bastonário ao hospital de Vila Real, integrada no périplo que a Ordem dos Médicos está a realizar a várias unidades de saúde de todo o país.

INFORMAÇÃO CIR (Universidade FM)

Relacionados