Campanha de esterilização de animais de companhia decorre até novembro nos municípios da Terra Quente Transmontana

Campanha de esterilização de animais de companhia decorre até novembro nos municípios da Terra Quente Transmontana

Já está a decorrer a campanha de esterilização de animais de companhia nos municípios da Terra Quente Transmontana, ou seja, Alfândega da Fé, Carrazeda de Ansiães, Macedo de Cavaleiros, Mirandela e Vila Flor.

Volta a ser gratuita para quem tiver dificuldades económicas e comparticipada para os restantes munícipes, explica Manuel Miranda, Secretário-Geral da entidade promotora da iniciativa, a Associação de Municípios da Terra Quente Transmontana:

“A questão da gratuitidade só é aplicável às pessoas com carência económica, este que era o modelo que tínhamos já há dois anos. As pessoas que estão integradas em certos escalões de rendimentos que os municípios determinam, para atribuição de outros benefícios, devem dirigir-se à sua câmara municipal para obter um voucher que os atesta com essa condição económica. Com ele as pessoas podem ir a qualquer uma das clínicas do território da Terra Quente e  fazer, de forma gratuita, a esterilização do seu animal.

Já para os restantes munícipes do nosso território, a campanha não é totalmente gratuita mas podem sempre beneficiar daquilo que é a comparticipação que o Estado, através do ICNF, atribui.

Os valores estão pré-estabelecidos, sendo de 55 euros por uma cadela, 35 euros para uma gata e depois são os valores um bocadinho mais reduzidos para os restantes animais. Esta comparticipação é automática nas próprias clínicas.”

O ano passado, a gratuitidade da esterilização foi alargada excecionalmente a todos os residentes do território da Terra Quente Transmontana, independentemente da situação económica, e permitiu esterilizar mais de mil animais em dois meses, cerca de três vezes mais que o habitual.

A campanha é destinada a cães e gatos e tem como objetivo diminuir o número de animais errantes.

No entanto, a taxa de adoções no Cantinho do Animal, antigo canil intermunicipal, diminuíram significativamente com a pandemia, o que já fez com que o espaço, entretanto ampliado, voltasse a ser limitado:

“É realmente um problema que não conseguimos superar e a pandemia também nos limitou a esse nível.

Tínhamos tido uns grandes progressos a nível da adoção, com taxas na casa dos 20%/25%, mas com a pandemia os números estão muito mais reduzidos, estando a taxa, neste momento, entre 8 a 10%, e há também alguma falta de adotantes.

Nos últimos anos investimos na ampliação do canil. Foram quase trezentos mil euros para melhoria das condições, mas rapidamente começaram a ficar outra vez limitadas com o número de animais que é conduzido para o canil por parte dos munícipes.”    

A campanha de esterilização 2022 já começou e decorre até novembro em todas as clínicas veterinárias dos cinco concelhos.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar