Macedense consegue primeiros três pontos da fase de manutenção/descida com vitória caseira

Macedense consegue primeiros três pontos da fase de manutenção/descida com vitória caseira

O Macedense conseguiu a primeira vitória da Fase de Manutenção/Descida da II Divisão Nacional de Futsal em casa este sábado, com um 5-4 frente ao Viseu 2001.

O jogo foi para intervalo com vantagem viseenses por uma bola, que passou a duas ao início a segunda parte.

Riquinho começa a mudar a história do jogo e fez o primeiro da equipa da casa, ao que se seguiu o tento da igualdade, através de Carlos Pires, quando havia ainda 14 minutos e 27 segundos por jogar. Mas depressa o marcador voltou a pender para o lado contrário, com mais um certeiro do emblema de Viseu. O Macedense depressa recuperou a igualdade com o feito de Richie. 3-3

O jogo só voltou a ver golos quando faltavam 5 minutos e 22 segundos para acabar e foi Riquinho a carimbar o 4-3, ao que se seguiu o 5-3 de Richie.

O último tento da partida teve selo viseense. 5-4.

Costinha está satisfeito com a prestação da equipa que lidera, mas considera que podia ter feito ainda mais:

“Falhámos na finalização no início, a equipa deles foi eficaz e partimos para intervalo numa posição de desvantagem.

Depois entrámos na segunda parte e, numa infelicidade, eles ganham mais vantagem. Mas depois a equipa manteve a crença, cresceu, foi para cima e virou o resultado. A partir daí ficámos confortáveis no jogo. A equipa esteve competente, ainda podia ter feito mais mas este era um jogo para ganhar meio a zero, o que interessa é começar a amealhar nesta segunda fase .

A equipa está de parabéns pois foi um verdadeiro grupo que soube sofrer e crescer para o próximo jogo.”

O técnico macedense destaca ainda o papel do sexto jogador, o público, a quem quis oferecer uma vitória este sábado:

“A equipa pode estar a esmorecer, vacilar ou a não acreditar, que os adeptos elevam a moral e a crença. Conseguem dar sempre mais um pouco e isso é importante para vencer jogos.”

Do lado do Viseu 2001, o treinador, Rui Almeida, não gostou da prestação da equipa, principalmente na segunda parte:

“Não gostei. Acho que fizemos uma primeira parte rigorosa, fomos organizados e concentrados.

Entrámos na segunda parte com a melhor coisa que pode acontecer, que é em poucos segundos fazer golo.
Tínhamos tudo para manter o que estávamos a fazer, respeitar o adversário e o nosso modelo de jogo, mas isso não aconteceu.
Quem conhece esta equipa de Macedo sabe que vão até ao fim e nós fomos muito murchos, amorfos, deixámos o jogo andar e eles continuaram sempre com aquela vontade.
O ritmo deste jogo não teve minimamente a ver com aquele a que treinámos.
Sabíamos que era um jogo fora com uma equipa complicada e tivemos tudo na mão para conseguir.”

O Macedense só volta a jogar para o campeonato a 11 de fevereiro e recebe o Amarense.

Antes disso, a 4 de fevereiro, vai a Angra do Heroísmo encontrar o Lusitânia dos Açores para a 4ª eliminatória da Taça de Portugal Placard.

Escrito por ONDA LIVRE

IMG_3385 IMG_3386

 

Relacionados

Comentar